FLAUTA TRANSVERSA - Parte IV

Mensagem
Autor
Avatar do usuário
CARLINHOS DA FLAUTA
Mensagens: 279
Registrado em: 11 Nov 2008 16:46
Localização: RIO DE JANEIRO

FLAUTA TRANSVERSA - Parte IV

#1 Mensagem por CARLINHOS DA FLAUTA » 22 Nov 2008 23:42

- continuação -

Outrossim quanto à afinação pela cabeça é que deve-se evitar alterar-se a posição do êmbolo de afinação pois este já vem afinado de fábrica. Se porventura houver a necessidade de alterar-se a afinação, é aconselhável fazê-la pelo BARRILETE da cabeça, a parte inferior da cabeça que encaixa-se no CORPO, e que possui coloração diferente do restante da cabeça. Deve-se abrir para ABAIXAR a afinação e FECHAR para subir a afinação.

# CORPO - Outra parte que constitui a flauta, encaixando-se na cabeça. É no corpo que encontramos o mecanismo, as CHAVES, que nos permitirão fechar ou abrir os orifícios no corpo. Estes orifícios recebem o nome de CHAMINÉS. É através da vedação ou abertura das chaminés pelas chaves que alteramos a pressão interna do tubo da flauta (vide partes anteriores), variando a mesma e produzindo sons diferentes. Algumas chaves são endossadas de CALÇOS, peças pequenas que são colocadas embaixo das chaves a fim de estabelecerem contato entre as chaves e o corpo, evitando que as chaves desçam além do necessário.
As chaminés podem ser EXTRUSADAS (repuxadas do próprio tubo do corpo) ou SOLDADAS no corpo. As bordas das chaminés são de grande importância, tanto para a vedação quanto para o resultado sonoro. Estes orifícios denominados chaminés serão vedados pelo contato das chaves que abaixarão sobre elas. As chaves por sua vez possuem em sua estrutura um conjunto de materiais que citarei de forma bem resumida: é basicamente composta de uma base rígida, em forma de disco, com medidas específicas, coberta por um feltro trançado e recoberta por uma pele bem fina, impermeável, geralmente o BAUDRUCHE (espécie de pele que reveste o estômago de um peixe, geralmente a baleia) ou de material sintético. É a chamada SAPATILHA. Após a colocação deste disco revestido é colocado uma espécie de moeda, chamada RESSONADOR (lembra do ÊMBOLO da CABEÇA ???), que é parafusado na chave oca. Este ressonador pode ser metálico ou de material sintético, como liga de polímeros (plásticos). É este ressonador que, juntamente ao ressonador da cabeça, conferirá o timbre e a amplificação do som. Óbvio que isso é o timbre diretamente influenciado pela EMBOCADURA do flautista, do material de confecção da flauta, da qualidade das SAPATILHAS etc.
As chaves são aparafusadas em postes de fixação chamados COLUNETAS ou CAVALETES, que percorrem quase todo o corpo da flauta, e onde se encontra instalado todo o mecanismo da flauta. Estes cavaletes são soldados no corpo da flauta. Dentro destes cavaletes passam PARAFUSOS que atravessam sua estrutura e fixam as chaves nestes poste de fixação. Para que as chaves respondam aos comandos fechar e abrir, é necessário que entre elas e os cavaletes haja uma comunicação. Esta comunicação é feita através de peças bem finas chamadas MOLAS que imprimem pressão ao fechar-se ou abrir-se uma chave. Sem as molas as chaves ficariam totalmente abertas ou fechadas, sem controle do mecanismo. Existem molas confeccionadas em metais comuns ou em metais nobres, como o ouro 12k e outros.
Existem modelos de determinadas marcas que possuem parafusos de ajuste das chaves, os MICROAFINADORES, que permitem uma regulagem da altura das chaves. A VEDAÇÃO da flauta é de suma importância, visto que um mínimo vazamento é suficiente para interferir não só na afinação, mas também na emissão do som. Por isso é necessário todo um cuidado na escolha das sapatilhas e na colocação delas. Existem de várias qualidades, variando de preços.
O MECANISMO é formado pelos CAVALETES, MOLAS, PARAFUSOS, CHAVES e ESPÁTULAS. As espátulas são espécies de pequenas chaves, bem próximas das chaves comuns.
Você não está autorizado a ver ou baixar esse anexo.


"Como entender a flauta ? Simples ! Primeiro apenas ouça-a; em seguida, ouça com o coração."

CARLINHOS DA FLAUTA

Avatar do usuário
CARLINHOS DA FLAUTA
Mensagens: 279
Registrado em: 11 Nov 2008 16:46
Localização: RIO DE JANEIRO

Re: FLAUTA TRANSVERSA - Parte IV

#2 Mensagem por CARLINHOS DA FLAUTA » 28 Jan 2009 20:44

Saliento aqui que as flautas (como já dito anteriormente) podem ser confeccionadas em vários materiais. A princípio as flautas eram construídas em MADEIRA mas devido à baixa amplificação sonora, por não se prolongar em ambientes abertos, fez-se necessária a utilização de outros materiais que proporcionassem uma maior amplificação natural da flauta, que após vários anos de pesquisa, chegou-se às LIGAS. Estas são utilizadas até os dias de hoje. São combinações de vários metais, como o BRONZE, o NÍQUEL, o PALÁDIO, a PRATA, o OURO, a PLATINA. Quanto mais nobre for a combinação, mais rica será a flauta em coloridos sonoros e em harmônicos, além do que sua sonoridade será bem mais limpa, mais macia e suave, aumentando o prazer em tocá-la.

A espessura do tubo da flauta é outro fator imprescindível para a determinação de vários tipos de timbres. Cada espessura está diretamente ligada ao tipo de liga utilizada para aquela determinada espessura. Isto é, há uma espessura específica para uma flauta confeccionada em ouro; outra para uma flauta em prata etc..

Assim, a espessura do tubo é de fundamental importância para determinar certo timbre. E a liga que vai compor este tubo determina qual será a espessura do tal.


"Como entender a flauta ? Simples ! Primeiro apenas ouça-a; em seguida, ouça com o coração."

CARLINHOS DA FLAUTA

Responder Exibir tópico anteriorExibir próximo tópico

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 2 visitantes